PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Tite admite medo na Seleção e se sente responsável pela queda do Timão

Foto: Reprodução

O técnico Tite teve um ano especial em sua carreira profissional. Considerado o líder pela recuperação da Seleção Brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, o treinador está em alta junto ao torcedor. Porém, nem tudo é perfeito: ele revela as dificuldades no início da caminhada com a equipe canarinho e, além disso, admite que se sente responsável pela instabilidade do Corinthians em 2016.
Tite aceitou comandar a Seleção Brasileira no mês de junho, logo após o fracasso de Dunga na Copa América dos Estados Unidos. A pressão era muito grande. Na ocasião, o Brasil ainda estava fora da zona de classificação para a Copa do Mundo, fato que deixou o treinador apreensivo. “O medo de não classificar sempre esteve presente”, disse em entrevista exclusiva exibida neste domingo pelo Mesa Redonda, da TV Gazeta.
Ao assumir a Seleção, Tite se preocupou muito com os comentários de que os atletas não tinham mais prazer em vestir a camisa canarinho. No entanto, a impressão foi totalmente diferente no contato diário com os jogadores. O novo trabalho também trouxe à Seleção um grande talento: Gabriel Jesus. O treinador recorda que elogiava o atacante desde a época em que trabalhava no Corinthians.
“Depois de uma derrota para o Palmeiras, falei que ele era um jogador de verdade. A idade mental dele é maior do que sua idade biológica”, explicou o técnico, que também toma todo o cuidado para manter uma relação positiva com Neymar, principal nome da atualidade no Brasil. Por isso, avisa que irá respeitar a posição de o jogador do Barcelona evitar contato com a imprensa.
Ao mesmo tempo em que projeta a Seleção Brasileira, Tite continua de olho no Corinthians. Desde a saída do treinador, a equipe de Parque São Jorge passou por grandes dificuldades, trocou de treinador – com a saída de Cristóvão e a contratação de Oswaldo de Oliveira -, mas não conseguiu nem sequer a vaga para a Libertadores 2017.
“Eu sinto que tenho responsabilidade nisso por ter aceitado o convite da Seleção”, reconheceu Tite, defendendo também a administração de Roberto de Andrade, alvo de questionamentos internos no Parque São Jorge.
Fonte:gazetaesportiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário