CÂMARA DE VEREADORES DE CAIRU

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Murilo e Bruninho aceitam liderar Seleção com saída de veteranos














Seleção Brasileira masculina de vôlei terá novos líderes em seu grupo nas próximas temporadas. Com a despedida dos veteranos Serginho, Giba e Rodrigão do time nacional, após a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, o ponteiro Murilo e o levantador Bruninho devem disputar o posto de capitão e dividir a responsabilidade em quadra.
Giba, Serginho e Rodrigão se aposentam da Seleção Brasileira com três medalhas olímpicas, além de títulos da Copa do Mundo e do Campeonato Mundial. Nos Jogos Olímpicos, a equipe nacional conquistou o ouro em Atenas-2004 e a prata em Pequim-2008 e Londres-2012.
“É uma geração que está terminando, mas fiz parte dela por seis anos, acho que aprendi demais. O principal é o lance da filosofia, valorizar a camisa porque é o que esses caras fizeram”, disse o levantador Bruninho, filho do técnico Bernardinho. “Se a gente conseguir 70% ou 80% do que eles conseguiram, vai estar de bom tamanho”, completou.
Apontados pelos próprios veteranos como seus substitutos nos aspectos de liderança dentro da Seleção, Murilo e Bruninho garantem assumir como naturalidade o novo papel dentro do grupo. Os dois estão entre os melhores do mundo de suas posições e passam a ser os jogadores mais experientes do time nacional, com exceção de Dante que ainda não definiu se segue atuando pelo Brasil. 
“O Giba apontar eu e o Bruno [como líderes] é por uma característica nossa, por a gente fazer isso naturalmente. Fica um pouco essa responsabilidade para a gente passar essa filosofia criada e implementada pelo Bernardinho e aceita por nós. Não vejo muito mistério, tem que manter o trabalho que vem sendo feito”, explicou Murilo.
Em comum, além das características de liderança dentro do grupo da Seleção, os novos veteranos também tem a reverência pelos atletas que se despedem da equipe nacional. “A Seleção é maior do que tudo, mas esses caras merecem mais do que estátuas. São heróis nacionais mesmo”, sentenciou Bruninho.
gazetaesportiva.net

Náutico x Bahia: Rogerinho pode estrear


O Bahia terá uma parada dura neste sábado, enfrentando o Náutico na Ilha dos Aflitos em Recife, em sua nova tentativa de fugir da zona de rebaixamento. O time de Pernambuco reúne figuras que tiveram passagens pelo Esporte Clube Bahia, como o técnico Alexandre Galo, o zagueiro Alison e o meia cheio de onda Rogerinho, este inclusive, depois de ter sido contratado ao Ceará pode estrear contra o Bahia. Ele, junto com o volante Dadá estão regularizados e podem fazer a estréia às 18h30, nos Aflitos.

Os dois tiveram o nome publicado no Boletim Informativo Diario (BID) da CBF e ficam à disposição do técnico Alexandre Gallo. Boa informação para o comandante alvirrubro que pode perder até seis atletas para o confronto diante do Tricolor de Aço. Ronaldo Alves, Souza e Kieza são desfalques certos após receberem o terceiro amarelo na rodada passada contra o São Paulo. Já Elicarlos, Ramirez e Patric passarão por exames médicos e serão avaliados até amanhã.

futebolbahiano.com

Bahia volta para a zona de rebaixamento

A estadia do Esporte Bahia fora da zona cinzenta do Brasileiro da Série A, durou um pouco além das 24 horas e nunca foi garantida, como muitos afirmaram após o trunfo de ontem à noite, contra o Ponte Preta, em Campinas. Era preciso vencer e esperar um duplo tropeço, que seriam as derrotas do Sport-PE e Palmeiras e como aconteceu apenas o fracasso pernambucano, o Bahia dependia de um triunfo do Vasco da Gama em cima do Coritiba (substituto do Bahia no Z4). MAS, infelizmente para uns e felizmente para outros, isto não aconteceu.


Hoje à noite, em jogo pelo complemento da décima sétima rodada, realizado no Estádio de São Januario, no Rio de Janeiro, Vasco e Coritiba ficaram no empate em 2 x 2. Com Júnior Urso e Éverton Ribeiro marcando para o Coritiba, enquanto Felipe e Wendel para o Vasco. Com o resultado, o time curitibano foi aos 16 pontos, igualmente como o Bahia, porém, devolve o tricolor para a posição de origem de antes do início da rodada, quando aplicado o critério de desempate de números de vitórias. Coritiba 4, Bahia apenas 3. Serviu como treinamento e agora é vencer o Náutico no próximo sábado, na Ilha dos Aflitos, na cidade de Recife.

Jogos de quinta-feira pela Série A

Vasco/RJ 2 x 2 Coritiba/PR
Corinthians/SP 1 x 0 Internacional/RS
Figueirense/SC 1 x 3 Santos/SP

futebolbahiano.com

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Seleção valoriza prata olímpica, e Giba diz: 'Acostumamos mal o brasileiro'


Bernardinho não estava ali, preso no aeroporto do Rio de Janeiro depois de ter enfrentadoproblemas em seu voo para São Paulo. Sentados no centro de convenções de um hotel em Guarulhos, eram os jogadores, então, que tentavam explicar o que desandou na final contra a Rússia. Todos, claro, queriam mais. Mas, no retorno ao Brasil, a seleção masculina de vôlei fez questão de valorizar a prata conquistada no último domingo nos Jogos Olímpicos de Londres.
Com outras duas medalhas olímpicas no currículo (ouro em Atenas 2004 e prata em Pequim 2008), Giba se despediu da seleção na capital inglesa. O capitão fez questão de ressaltar a importância de o Brasil ter chegado a mais uma final em Jogos, a terceira seguida. Ainda mais depois das críticas enfrentadas pela campanha ruim na Liga Mundial. Lamentou apenas a pouca valorização do feito.
Seleção do Brasil na coletiva de vôlei (Foto: Luiz Pires / VIPCOMM)

- Quando chegamos de Pequim, fomos vistos como um time perdedor. Hoje, o sentimento é de "legal, medalha de prata, mas queríamos o ouro". Nós acostumamos mal o brasileiro. A mentalidade do brasileiro já é "você ganha ou é ultimo". Isso eu aprendi muito nas minhas viagens. Temos de colocar a mão na cabeça e ver por que isso acontece. É triste ver certas críticas sabendo do nosso esforço e do nosso currículo. Aqui, (prata) não vale nada. Aceitamos as críticas pela Liga Mundial, mas nosso objetivo era chegar à final nas Olimpíadas. Queríamosganhar, mas estávamos de novo em uma final. É triste ver esse "não- crédito" na história. Não fosse assim, daríamos mais valor às coisas que nós temos.
Rubinho, auxiliar de Bernardinho, afirma que a seleção brasileira teve o ouro em mãos. Diz que a derrota veio por conta de uma tentativa ousada do técnico rival, que mudou o gigante Dmitry Muserskiy de posição durante a partida.
vôlei giba brasil coletiva (Foto: Agência Reuters)

- A gente fez uma partida muito boa. O que aconteceu foi uma última e desesperada tentativa do técnico deles (Vladimir Alekno). É um grande tecnico, mas não vejo como uma coisa brilhante. Tivemos um amplo domínio e aquela foi a última tentativa de reação. E, para nossa infelicidade, deu certo. Faz parte do jogo.

Nem todos os jogadores participaram da coletiva. Além de Giba, Murilo, Bruninho, Serginho, Lucão, Thiago Alves e Wallace estavam presentes. O último, novato em Olimpíadas, falou da importância de ter participado da campanha em Londres.
- Ganhei toda a experiência de jogar ao lado de Giba, Murilo, Ricardo, Escada (Serginho), pessoas que estão na seleção há mais tempo. Saio bem mais maduro depois da Liga Mundial, que joguei boa parte, e das próprias Olimpíadas, onde fui bem na final e na semifinal. Os caras me passaram toda tranquilidade para jogar daquele jeito. Tenho que manter isso, para continuar firme e forte.
globoesporte.com

Seedorf marca no Engenhão e Botafogo bate o Sport por 2 a 0


Divulgação/Site OficialO Botafogo se recuperou no Campeonato Brasileiro e venceu por 2 a 0 o Sport, nesta quarta-feira. A partida foi especial para Seedorf, que marcou seu primeiro gol no Engenhão, seu segundo com a camisa alvinegra. Com o resultado, os cariocas vão terminar a rodada na sexta colocação, com 27 pontos, mais próximos da zona de classificação para a Libertadores. Já os pernambucanos seguem com a má fase, com 18, na 18ª colocação, dentro da zona de rebaixamento.
O confronto teve seu primeiro tempo disputado em ritmo lento, com nenhuma das equipes levando perigo ao gol adversário. Somente na etapa final o duelo ficou mais movimentado. O Botafogo abriu o placar com Elkeson, aproveitando bola evantada na área. Já o segundo foi feito por Seedorf, que roubou a bola, entrou na área e finalizou para a rede.
Na próxima rodada, o Botafogo vai até Minas Gerais encarar o líder Atlético-MG, no domingo. O Sport segue no estado do Rio e vai até Volta Redonda para enfrentar o Fluminense, no sábado.
O jogo - O Botafogo começou a partida tentando impor uma pressão sobre o Sport. Os alvinegros até tinham o domínio do confronto, mas não conseguiam criar boas chances de perigo para o gol de Magrão. Os visitantes buscavam os contra-ataques, só que apenas chegavam em chutes de fora da área para fora. Com isso, o duelo ficou sendo disputado em ritmo morno.
O panorama da partida não mudou até os minutos finais. Somente aos 43 minutos um time conseguiu levar perigo ao adversário. Em um ataque rápido do Sport, a bola chegou em Rithelly, que arriscou de fora da área e viu a bola passar muito perto do gol de Jefferson. Assim, o jogo para o intervalo na igualdade sem gols.
A etapa final começou maos movimentada, pois logo com dois minutos, o Botafogo teve sua primeira chance de marcar. Cidinho fez jogada individual e chutou da entrada da área. No entanto, o goleiro Magrão estava atento e fez a defesa. A resposta do Sport veio aos oito. Felipe Azevedo recebveu lançamento e ganhou da corrida dos zagueiros alvinegros. O atacante ficou de frente para Jefferson, mas finalizou nos pés do goleiro, que salvou os donos da casa.
Depois disso, o jogo voltou a ficar em ritmo sonolento. A torcida do Botafogo passou a vaiar alguns jogadores, mas parou para comemorar aos 21 minutos. Aós cruzamento na área, a bola sobrou para Elkeson. O atacante dominou e chutou cruzado sem chance para Magrão.
Após o revés, o Sport passou a buscar mais o ataque, mas abriu espaço na defesa. Com isso, não demorou muito para o Botafogo se aproveitar disso e ampliar o placar. Aos 31 minutos, Seedorf roubou a bola em saída errada dos pernambucanos, entrou na área e chutou na saída de Magrão.
Com o placar mais dilatado, o Sport não teve força para tentar pressionar o Botafogo, que passou a administrar o resultado. Nos minutos finais, os donos da casa ainda desperdiçaram duas chances de marcar, ambas com Cidinho. Assim, o jogo terminou com a vitória carioca.

Bahia vence a Ponte Preta e suspira



Mesmo jogando com desfalques importantes e com uma dupla de zaga praticamente desconhecida, sendo que o zagueiro Alysson estreava com a camisa tricolor, o Bahia surpreendeu a todos quando, fazendo uma boa partida, baseando-se em uma forte marcação e saídas em contra-ataques rápidos, abriu o placar aos 10 minutos depois de passe longo e perfeito de Souza, em que Gabriel não vacilou, aproveitou e meteu para dentro do gol defendido pelo goleiro Edson Bastos. Era tudo o que precisava o Esporte Clube Bahia, para depois administrar o restante desta etapa, sem sofrer grande pressão do time Pontepretano e terminar o primeiro tempo com o jogo controlado.
No segundo pouco mudou. O Ponte Preta não justificou o status nem fama da boa campanha, muito menos o Bahia, pareceu aquele time apático e sem força como foi visto no jogo contra o Grêmio, inclusive tendo uma grande chance de ampliar o placar através de Souza. Determinado, com sorte e postura de jogo definida, o tricolor de aço recebeu uma bola na trave, um gol salvo por Fabinho e por fim, tirou forças do fundo de baú e já no final de jogo, em um contra ataque organizado por Lulinha, Souza ampliou o placar aos 40 minutos para abrilhantar o triunfo e conquistar três pontos prá lá de importantes, para alívio e alegria da torcida tricolor.
Com o resultado, que foi extremamente providencial e super necessário, o Bahia foi aos 16 pontos e, provisoriamente, abandona a zona de rebaixamento e agora torce para que o Botafogo empate ou derrote o Sport, em jogo que está sendo realizado neste momento, registrando um empate em 0 x 0, ou que o Palmeiras não some três em cima do Flamengo.
Agora, o Bahia segue direto para Recife e no próximo sábado (18), às 18h30, no Estádio dos Aflitos, encara o Náutico em jogo válido pela décima oitava rodada do Brasileiro da Série A. Para este jogo, o Bahia não contará com Zé Roberto, punido no jogo de hoje com o terceiro cartão amarelo.
Em alguns momentos, confira todos os detalhes da partida e, logo após, o vídeo com os melhores momentos e toda movimentação pós-jogo de Ponte Preta 0 x 2 Bahia, jogo válido pela décima sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série A.


futebolbahiano.com

Alex Portela: "intuito é ser campeão"


Com a campanha que vem fazendo na Série B - 2º colocado com 38 pontos -, 12 vitórias em 16 jogos, o Vitória vive seu melhor momento na temporada. A torcida está confiante e jogadores e comissão técnica trabalham com tranqüilidade. O presidente Alex Portela concedeu entrevista ao jornalista Hailton Andrade do site iBahia, onde trata de diversos assuntos importantes do clube e entre eles: a possibilidade do clube mandar seus jogos na Fonte Nova, a contratação de um novo zagueiro e aproveitou para reiterar a necessidade de se associar ao clube e por fim, convocou a torcida no jogo desta sexta-feira, contra o Joinville, certamente ainda ressentido com o fracasso de público na última terça-feira. Leia a entrevista na íntegra abaixo

Qual foi a principal mudança no trabalho da diretoria para ter sucesso nesta temporada, diferentemente do ano passado?
Acho que a principal mudança foi no tipo de contratação que nós fizemos. Esse ano nós procuramos trazer jogadores com uma faixa etária menor e usando muito também a divisão de base. Repare que estamos tendo resultados com jogadores experientes, mas não tão velhos como a gente contratou no ano passado. Jogadores experientes, mas com uma faixa etária, vamos dizer, ainda compatível para o nível da competição, e usando muito a nossa divisão de base, que queira ou não queira é o que realmente faz a diferença.

O Vitória, apesar de ter bons jogadores em certas posições, segue contratando. Elton foi o último. O Vitória ainda está contratando para Série B ou o elenco está fechado?
A gente tem que estar qualificando porque eu acho que se você tiver um plantel apenas com um time titular não vai chegar. Nós temos que ter um elenco qualificado. Na última partida fora, contra o América-MG, nós mudamos cinco posições e o time não sofreu com essas mudanças. Repare que a gente ainda está com o Dinei se recuperando, que ainda vai demorar um pouco. Nicácio tanto joga como 9 como joga de beirada. É um jogador que a gente pode aproveitar em uma outra posição. Com a saída de Neto a gente trouxe o William e com a contusão Dinei, ainda é uma incógnita a volta dele, a gente trouxe Elton. Jogadores qualificados que têm inteiras condições de serem titulares. Qualquer um que o treinador colocar, tem condição de ser titular. Acho que isso está fazendo a diferença para o Vitória. É o nível do plantel e a quantidade de jogadores que têm condições de ser titular.

Então o Vitória pode contratar mais alguém para reforçar o elenco?

Acho que sim. Nunca está fechado. Pelo menos um zagueiro a gente precisa, pois só temos quatro. Não vamos dizer que está fechado, não. Se aparecer jogador que a gente acha que seja melhor do que o que nós temos, vamos trazer. Por isso que a gente está trazendo pontualmente, que a gente tem um excelente plantel. É difícil achar jogadores em uma qualidade melhor do que nós temos, mas se a gente achar, com certeza vamos trazer.

E o Carlinhos, que tinha contrato só até este mês, vai renovar?
O contrato dele já foi prorrogado até o final do Brasileiro.

Depois de um longo período ouvindo críticas, qual a sensação do presidente com o atual momento do time?
É uma situação muito mais tranquila, mas nós temos que ficar atentos e tocar da mesma maneira que a gente vem tocando para não sofrer nenhum revés. O campeonato é longo, não tem nada definido, a gente está em um bom caminho, mas a gente tem que manter a mesma pegada. A gente tem que manter até o final essa pegada, que o intuito nosso não é apenas subir, é ser campeão. Nosso intuito esse ano é ser campeão da Série B.

Qual tem sido a maior dificuldade da diretoria na temporada?

Manter os salários em dia, manter as coisas em dia, é uma dificuldade. Você sabe que a gente não tem a receita que tem os clubes do Sul e a gente passa a ver jogador bom, jogadores hoje do nível de contratação da exigência dos salários... Os salários subiram muito em função do aumento da cota da TV. Os salários são muito altos e, para a gente negociar e trazer jogador que se encaixe na nossa filosofia, é muito trabalho. Graças a Deus a gente está conseguindo e estamos montando um elenco muito forte, muito qualificado, para conseguir o título da Série B esse ano.

O Vitória tem tido destaque regional em outros esportes. O clube pode fazer mais investimentos pensando em ver atletas de diversas modalidades representando o Brasil nas Olimpíadas do Rio, em 2016?
Com certeza. O Vitória hoje tem mais de 300 atletas disputando nas outras categorias. Vôlei, basquete, remo, taekwondo, natação, vamos participar agora do futsal... O Vitória realmente está abrindo esse leque. Acho que é importante abrir para parte social para ter inclusão. O Vitória tem hoje um remador convocado para seleção brasileira. Somos decacampeões baianos no remo. Isso mostra que nós, além de focar na parte do futebol, que hoje é o principal do clube, nós estamos também investindo nessas outras áreas. Certamente a gente dá maior visibilidade para gente que gosta e admira outros esportes. Acho importante o clube estar trabalhando dessa forma.

A campanha "Meu sangue é rubro-negro" foi um sucesso. O torcedor pode esperar mais ações como essa daqui para frente?
Claro. Acho que nós, como gestores de um clube de futebol, de qualquer coisa que tenha condição de ajudar nossa população, ao povo baiano, tem que ajudar. O Vitória fez um convênio com o governo do estado, onde tem a construção de três campos e um ginásio de esportes para a gente poder fazer a inclusão de 250 garotos por ano. O Vitória vai dar toda a estrutura, não só de logística, de pessoal, como também social, para acompanhar o pessoal que mora no entorno do Barradão. Nós estamos aguardando só a liberação desse convênio por parte do governo para continuar fazendo essa parte social do clube.

Essa semana a diretoria visitou a Arena Fonte Nova. O que você pode passar para o torcedor sobre uma possível mudança de mando de campo?

Temos que fazer isso com muita prudência. O Vitória tem a casa própria, nós temos nosso estádio. Tive visitando, eles nos convidaram para conhecer as obras, e é um estádio que está ficando muito bonito. Vai ser muito bacana e a gente precisa ter muita prudência jogar lá ou não, vê as partidas que vamos jogar, se serão todas, uma parte, porque nós temos nossa casa e, queira ou não queira, foi assim que nós conseguimos mudar a história do futebol baiano. Isso está sendo analisado, não vai ser uma decisão minha, vai ser uma decisão do clube como um todo, da diretoria, do Conselho, dos torcedores, para poder a gente partir para essa decisão. Tem grandes possibilidades sim, mas tem que ser da maneira que seja boa não só financeiramente, como também dentro de campo para o Vitória. A gente tem que analisar isso com muita calma. Não foi feita proposta nenhuma ainda, só realmente uma conversa inicial. Vamos dizer assim: de concreto não tem nada.

Uma mensagem para torcida rubro-negra?

Eu queria dizer ao torcedor rubro-negro que ele é muito importante. O clube que a gente faz é em prol dele, em função da torcida. A gente precisa muito que ele nos apoie, que ele compareça ao estádio, que ele se associe ao "Sou Mais Vitória". Acho que nós temos que passar dos 10 mil sócios e chegar a 20 mil. O Vitória só vai ser grande, cada vez maior, com o apoio e eles sendo associados. Repare que o Inter é o que é hoje pelo número de associados que tem, pela receita fixa que ele tem mensal. A gente precisa disso, a gente precisa que o torcedor ajude e se associe ao clube. Que compareça sexta-feira, em um jogo importante. Jogo que vale a liderança da Série B, não tenho dúvidas. Ganhando o jogo sexta-feira, o Vitória vai dormir líder da Série B


futebolbahiano.com

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Brasil vence jogo festivo com a Suécia e reduz pressão sobre Mano


Mano Menezes ganhou sobrevida como técnico da Seleção Brasileira. Nesta quarta-feira, menos de uma semana depois da derrota para o México na decisão dos Jogos Olímpicos de Londres, sua equipe venceu um amistoso festivo contra a Suécia e reduziu a pressão por resultados. Os gols do triunfo por 3 a 0 no Estádio Rasunda foram marcados pelos atacantes Leandro Damião no primeiro tempo e Alexandre Pato (2) no segundo.
A partida serviu para os suecos se despedirem do Rasunda (onde o Brasil derrotou os donos da casa por 5 a 2 na final da Copa do Mundo de 1958), que será demolido e deu lugar a uma arena mais moderna a menos de 1 km de distância. Muitos dos ex-jogadores que disputaram aquele jogo - inclusive Pelé - foram homenageados antes do amistoso vencido pelo time de Mano.
O jogo – A Seleção Brasileira parecia não partilhar da festa que os suecos faziam para dar adeus ao Rasunda. Enquanto passistas desfilavam no gramado alegremente ao som de samba e ex-jogadores eram homenageados com pompa, os medalhistas de prata (reforçados pelos titulares Daniel Alves, David Luiz, Paulinho e Ramires) das últimas Olimpíadas encaravam o amistoso com expressões enfezadas. Até o uniforme retrô azul, em memória do título mundial de 1958, foi rejeitado por causa do tecido pesado com maior retenção de suor.
A cautela brasileira não era demasiada para o momento de instabilidade. Com o seu emprego em risco, o próprio Mano andava de um lado a outro de sua área técnica à espera de boas jogadas e gols que diminuíssem a pressão sobre si. “Vamos agregar valores agora”, disse rapidamente, tentando se mostrar despreocupado. Após Pelé dar o pontapé inicial do amistoso contra a Suécia, o Brasil procurou seguir o exemplo de paciência do treinador e trocar muitos passes diante da forte marcação adversária.
Com um gol de cabeça, Leandro Damião abriu o placar para a Seleção Brasileira no amistoso desta quarta
Esperança brasileira de criatividade, Neymar perdeu um pouco da seriedade aos oito minutos (quando a torcida já se manifestava a favor da Seleção) e gingou pela primeira vez no gramado. O atacante caiu em seguida, na tentativa de transpor três defensores suecos na ponta esquerda. Parte do público vaiou – fazendo lembrar a birra dos britânicos com o jogador do Santos, que ficou rotulado por cavar muitas faltas durante os Jogos Olímpicos.
Dez minutos depois, Neymar provou a sua capacidade como goleador. O atacante correu para pegar o rebote de um bom chute na trave de Oscar, que havia arriscado de fora da área, e completou para a rede. O árbitro Viktor Kassai errou e assinalou um impedimento inexistente no lance, para alívio dos suecos e frustração dos brasileiros presentes no Rasunda.
De qualquer forma, o gol anulado de Neymar serviu para soltar um pouco mais o Brasil em campo. Os volantes Rômulo, Paulinho e Ramires, sem muito trabalho defensivo, avançavam para colaborar com o ataque. Era o atleta do Vasco, justamente aquele com menor cacoete ofensivo entre os três, quem mais investia em chutes e lançamentos para a frente. Pelas laterais, Alex Sandro aparecia pouco, enquanto Daniel Alves assustou os suecos com forte cobrança de falta.
No final do primeiro tempo, o Brasil se aproximou definitivamente do gol. Aos 29 minutos, Neymar recebeu com liberdade dentro da área e cruzou rasteiro. A bola passou pelo goleiro Isaksson, mas ninguém apareceu para completar. Aos 31, não houve defesa para a Suécia. O santista acertou cruzamento da esquerda na cabeça de Leandro Damião, que subiu com estilo e abriu o placar para a Seleção. Pelé aplaudiu timidamente das tribunas do Rasunda.
Em desvantagem no marcador, a Suécia se viu obrigada a deixar o campo defensivo. Mesmo sem contar com o lesionado centroavante Zlatan Ibrahimovic, os comandados de Erik Hamrén incomodaram a defesa brasileira antes do intervalo. Marcus Berg, que estava isolado no ataque até então, tabelou com Ola Toivonen na entrada da área e ficou diante de Gabriel. O goleiro se redimiu de suas falhas nas Olimpíadas e fez a defesa para evitar o empate.
Campeão mundial no Rasunda, Pelé deu o pontapé inicial da partida e foi ovacionado
No segundo tempo, a Suécia adotou a estratégia de adiantar a sua marcação e atrapalhar a saída de jogo da Seleção Brasileira. Quando a equipe de Mano ia além do meio-campo, a solução local era apelar para as faltas. Neymar e Daniel Alves tiveram uma série de chances de bola parada em sequência. Em uma delas, Paulinho cabeceou com perigo depois de cruzamento, e Leandro Damião chegou atrasado à segunda trave para emendar para o gol.
Para ser mais efetiva, a Suécia mexeu. Anders Svensson, Alexander Kacaniklic e Tobias Hysén entraram nos lugares de Ramus Elm, Christian Wlhelmsson e Marcus Berg. O ritmo do jogo ficou mais lento. Mano Menezes, agora tranquilo, tirou proveito para também fazer alguns testes. Dedé, Hulk, Lucas, Alexandre Pato e Sandro substituíram David Luiz, Oscar, Neymar, Leandro Damião e Paulinho.
Nos instantes em que a partida já era ruim, sem tanta movimentação, Pato deu mais alegria aos brasileiros. Aos 38 minutos, depois de Daniel Alves tirar a bola do goleiro Andreas Isaksson com um toque sutil, o atacante do Milan cabeceou em posição duvidosa para o gol. Aos 40, sofreu pênalti contestável de Pontus Wernbloom - para mais protesto dos suecos. Ele mesmo cobrou e, apesar de ter se desequilibrado, sacramentou a primeira vitória do Brasil após a medalha de prata conquistada em Londres.
gazetaesportiva.net

Elton faz primeiro coletivo no Vitória


Elton foi apresentado na tarde desta quarta-feira e se colocou à disposição de Carpegiani para estrear contra o Joinville, nesta sexta-feira, às 19h30, no Barradão. O atacante, emprestado pelo Corinthians, realizou os exames médicos, participou do coletivo no campo 2 do CT Manoel Pontes Tanajura e marcou o gol do time com camisa amarela.

“Vinha treinando forte no Corinthians e estou à disposição”, disse na coletiva. Após a entrevista, o atacante conversou reservadamente com o treinador, que admitiu a possibilidade de aproveitar o jogador.

Campeão pelo Vasco e vice pelo Santo André, Elton espera ter a mesma sorte agora no Vitória e colocar o time de volta à Primeira Divisão. “Segunda divisão tem um grau de dificuldade muito grande e espero colocar a experiência que tenho para ajudar o Vitória”, acrescentou o jogador, que ao chegar à sala de imprensa Jornalista João Borges Bougê encontrou o atacante William, autor dos dois gols do triunfo diante do Guaratinguetá, na terça-feira.

Elton foi apresentado pelo gestor de futebol Raimundo Queiroz, vestiu a camisa 9, e falou do seu sonho de atuar pelo Vitória. “Trouxemos o Elton, um baiano de sangue e coração, sua família mora aqui e é um jogador que satisfaz os sonhos, pelo menos no nosso entendimento, de todas as grandes equipes do futebol brasileiro. É uma peça que pode enaltecer bastante”, disse Queiroz.

Ainda garoto, Elton realizou dois testes no Vitória e não ficou. “Todo jogador baiano tem esse desejo de atuar aqui. Eu fiz um teste e acabei não ficando. Era muito novo e não tinha aquela certeza que era aquilo mesmo que queria. Quis o destino que agora esteja aqui”.

O começo de Elton foi na seleção de Itaberaba, disputando o Campeonato Intermunicipal, em seguida passou no Palmeiras do Nordeste (Feira de Santana), do qual saiu para o Iraty, do Paraná. Seu acerto com o Vitória foi rápido e ele explica:

“Juntou o desejo do Vitória em contratar e a minha vontade de atuar no clube da minha terra. Era um sonho e hoje estou realizando este sonho. Sem dúvida, vou dar o meu máximo. A equipe está vivendo um momento bom e chego para somar. Nosso objetivo primeiro é subir e depois ser campeão”.

Mesmo à distância, Elton vinha acompanhando o desempenho do rubro-negro na Série B. “Sei da qualidade do elenco do Vitória e estou chegando para compor este grupo que é maravilhoso. Espero ajudar meus companheiros alcançar o nosso grande objetivo”.

CARLINHOS
O gestor de futebol informou que o contrato do lateral-direito Carlinhos, que expiava dia 18 de agosto, foi prorrogado até o final do Brasileiro, com opção de renovação por mais um ano.


futebolbahiano.com

Cláudio Pitbull já pode jogar pelo Bahia


Cláudio Pitbull já está pronto para estrear pelo Tricolor. Pelo menos no quesito legal. Nesta quarta-feira, o atacante foi regularizado junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e está liberado para jogar na Série A do Campeonato Brasileiro, informa o site G1

Ainda segundo o site, apesar de já estar regularizado, a estreia do jogador vai depender de questões físicas. Antes de assinar com o Bahia o atacante estava na Turquia, onde não teve muita oportunidade. Quando chegou ao Fazendão ele afirmou que iria conversar com a comissão técnica para saber o melhor momento para entrar em campo. A depender da necessidade do time, ele pode servir como opção para o jogo de sábado, contra o Náutico, em Recife.

futebahiano.com