CÂMARA DE VEREADORES DE CAIRU

sábado, 1 de setembro de 2012

América RN x Vitória: Manter a pegada

O Vitória enfrenta na tarde desse sábado o América de Natal com o objetivo de manter a pegada e repetir outra sequencia de 6 vitórias dando continuidade na maravilhosa campanha que vem desempenhando na série B em 2012.

O América de Natal que teve um excelente início de campeonato, figurando durante a maior parte do tempo no G4, teve uma queda de rendimento nas últimas partidas, ganhando apenas o clássico potiguar em seus 6 jogos mais recentes. Esses resultados negativos fizeram com que o Mecão despencasse da terceira para a oitava posição, deixando o time de Natal sedento para recuperar o fôlego de quem almeja o acesso para a série A.

O Rubro Negro baiano que conta apenas com um desfalque, do lateral Nino Paraíba, que sentiu dores musculares e por precaução será poupado, tentará manter a boa performance jogando fora de casa, quando vem apresentando um futebol consistente, trabalhando bem a bola e dominando as ações dos jogos. O objetivo do Leão é recuperar os pontos perdidos no confronto no início do campeonato quando o América conseguiu arrancar um empate em pleno Barradão.

A partida que será na cidade de Goianinha (80 km de Natal) deve receber um bom público, e a torcida Rubro Negra já se mobiliza para fazer uma bela festa, igual a que fez no PV, sábado passado, e no Independência, na semana anterior.

A equipe que tentará a 16ª vitória em 21 jogos deverá iniciar com: Deola; Léo, Gabriel, Victor e Gilson; Uellinton, Michel, Pedro Ken e Willie; Élton e William. Os 3 pontos, se vier, vai esquentar ainda mais o confronto da próxima terça, quando o Vitória enfrentará no Barradão o ex-líder (atual vice), e poderá abrir uma bela vantagem dando tranquilidade para a sequencia do torneio.



Bahia sem desfalques contra o São Paulo


Desfalques". Essa palavra foi muito usada pelo Bahia no primeiro turno da Série A, graças ao grande número de atletas que ficaram de fora dos jogos em virtude de lesões ou suspensões.

Em determinados jogos, o Bahia chegou a ter 08, 09, 10 e até 12 desfalques, mas parece que esta realidade começou a mudar no fim do 1º turno e continua melhorando na largada do returno.

Momento que coincide com a chegada do técnico Jorginho e que terá mais opções para armar a equipe. Para a partida contra o São Paulo, os únicos desfalques confirmados são do lateral Coelho, que está se recuperando de lesão, mas já corre no campo, do lateral Ávine, que vem fazendo um trabalho especial de fortalecimento e do zagueiro Alisson, que foi suspenso por dois jogos pelo STJD.

Em compensação, Jorginho terá os retornos do goleiro Marcelo Lomba e do volante Fabinho, que cumpriram suspensão contra o Santos, além das opções do volante Kléberson e do atacante Elias, que se recuperaram de lesões e já treinam com bola.

Além dos recuperados de lesões, outros jogadores já estão adquirindo o ritmo de jogo e de treino, fortalecendo o elenco tricolor, como são os casos do lateral Neto, dos meias Caio e Jéferson e do atacante Cláudio Pitbull.

Com estas opções e desfalques, o técnico Jorginho comandará um treinamento no Estádio de Pituaçu, nesta sexta-feira, às 15h30, para preparar a equipe para o jogo contra o São Paulo.

futebolbahiano.com

Taça BH 2012: Flamengo despacha o Vitória


O Esporte Clube Vitória depois de mandar o Bahia de volta para casa quando venceu por 2 x 0, na última terça-feira, enfrentou na tarde desta sexta-feira, em jogo valido pelas semifinais da 28ª Taça Belo Horizonte de Futebol Júnior, o afamado Clube de Regata Flamengo, que por sua vez, havia eliminado o Santos, após empatar em 2 x 2 e vencer através das cobranças das penalidades.

Hoje no duelo de rubro-negros, depois de um jogo com dois tempos distintos, deu Flamengo pelo placar de 2 x 0, com gols de Fernandinho e Rafinha para tristeza dos rubro-negros da Bahia que viram o sonho do segundo título da competição escapar em uma tarde infeliz.

O primeiro tempo de jogo, o Esporte Clube Vitória fez uma partida equilibrada, contudo, com uma pequena predominância do time baiano, que esteve melhor durante todos os 45 minutos e mereceu até sair de campo com um melhor resultado. No segundo tempo, o time comandado por Carlos Amadeu desandou em campo e antes dos 10 minutos, levou dois gols do time carioca e sem força de reação, e ainda contando com uma péssima arbitragem “pró-mengo” aceitou a derrota e desta forma, se despede da 28ª Taça Belo Horizonte de Futebol Júnior, em quarto lugar.

Já o Flamengo segue buscando o seu quarto título da competição enfrentando o vencedor o duelo da outra semifinal que terá Grêmio x Cruzeiro e acontece também nesta sexta-feira e a decisão no próximo Domingo, às 10h.

futeboblahiano.com


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Bahia surpreende e vence o Santos


Na noite desta quinta-feira (29), contrariando muitos, o Bahia venceu o Santos por 3 a 1, em plena Vila Belmiro. O tricolor quebrou um tabu de 11 anos sem vencer o adversário e além disso, quebrou a sequência de seis jogos sem perder do Peixe. Os gols do terceiro triunfo fora da casa foram marcados por dois veteranos, Souza e Neto, e um jogador revelado pela divisão de base, Gabriel.

Com o resultado, o Esquadrão chegou aos 20 pontos e continuou na 16ª posição, fora da zona de rebaixamento.

O primeiro tempo começou e o tricolor conseguia segurar o ataque santista. Porém, aos 14 minutos a equipe da casa abriu o placar. Neymar cruzou na área e André cabeceou para o gol.

O Bahia não se intimidou com o gol sofrido e teve chances de empatar a partida. Aos 29, Neto tabelou com Gabriel pela direita, cruzou na área e a bola passou na frente do gol. Outra grande chance aconteceu aos 39, quando Hélder arriscou de longe e soltou uma bomba no travessão do Santos.

Com isso, a primeira etapa terminou 1 a 0 para o time paulista. No segundo tempo, o tricolor começou arrasador e quase empatou aos três minutos. Gabriel invadiu a área, cruzou, mas a defesa adversária afastou. No rebote, Souza chutou para fora.

Porém, aos 14 minutos o "Caveirão" não desperdiçou. Neto cruzou, a defesa novamente afastou, mas a bola sobrou para Souza, que dominou e bateu rasteiro para empatar a partida. Após o gol, o Esquadrão de Aço dominou o jogo e logo virou a partida. Gabriel fez boa jogada pela direita e sofreu falta na entrada da área. Na cobrança, o lateral-direito Neto bateu com precisão e marcou o segundo gol tricolor.

Aos 20 minutos, o técnico Jorginho tirou Hélder, que sentiu dores no joelho e colocou Mancini. E aos 27, o meia iniciou a jogada do terceiro gol. Mancini avançou pela direita e cruzou para Souza, que dominou e ajeitou para Gabriel, que vinha de trás e bateu colocado, tirando do goleiro Rafael.

A partir daí, o Bahia tocou a bola e com mais volume de jogo, administrou o resultado.

O técnico Jorginho e o auxiliar Eduardo Barroca mandaram a campo: Omar; Neto, Danny Morais, Titi e Jussandro; Fahel, Diones, Hélder (Mancini) e Zé Roberto (Caio); Gabriel e Souza (Lucas Fonseca).

Nesta quinta-feira, a delegação do tricolor retorna para Salvador às 12h40 e treina às 15 horas no Fazendão.

ICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 3 BAHIA

Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 29 de agosto de 2012, quarta-feira
Horário: 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Assistentes: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Rodrigo Henrique Correa (ambos do RJ)
Renda: R$ 186.425,00
Público: 8.612 pagantes
Cartões amarelos: Bruno Peres (Santos); Jussandro e Danny Morais (Bahia)

Gols:
SANTOS: André, aos 14 minutos do primeiro tempo
BAHIA: Souza, aos 13, Neto, aos 17 e Gabriel, aos 27 minutos do segundo tempo

SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano (Bill), Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André (Victor Andrade)
Técnico: Muricy Ramalho

BAHIA: Omar; Neto, Titi, Danny Morais e Jussandro; Fahel, Diones, Hélder (Mancini) e Zé Roberto (Caio); Gabriel e Souza (Lucas Fonseca)
Técnico: Jorginho



Para consolidar profissionalismo, Paralimpíadas começam nesta quarta


O movimento paralímpico voltou para “casa” com a missão de dar início a uma nova era. Sessenta e quatro anos após o médico inglês Ludwig Guttman dar a partida para os esportes aos portadores de deficiência, com os Jogos de Stoke Mandeville 1948, que tinha como principal objetivo a reabilitação dos feridos na Segunda Guerra Mundial, Londres recebe, a partir desta quarta-feira, as Paralimpíadas de 2012. A cerimônia de abertura, que começa às 16h30m (de Brasília) com transmissão ao vivo do SporTV3, marca o pontapé inicial do evento que ainda tem, sim, a missão de promover a igualdade e socialização, mas que pode se consolidar definitivamente como uma competição esportiva de alto rendimento.
Oscar Pistorius Londres treino (Foto: AP)O sul-africano Oscar Pistorius é o nome de maior relevo das Paralimpíadas de Londres (Foto: AP)
Se histórias de cidadãos que vencem suas limitações ainda seguem como o carro-chefe, cada vez mais elas perdem espaço para disputas entre atletas profissionais. Em sua 14ª edição, a sétima utilizando as mesmas instalações dos Jogos Olímpicos (desde Seul-1988), as Paralimpíadas de Londres começam com a previsão de serem as mais bem sucedidas da história e com a missão de colocar a competitividade em igualdade de condições do clichê que exalta a superação.
- Acredito que em Londres as pessoas não vão colocar mais o foco nas deficiências e passarão a nos ver como verdadeiros atletas. Verão nossos triunfos e nossas decepções. Realmente acredito que os Jogos de Londres podem mudar a maneira como enxergam o esporte paralímpico e, consequentemente, as pessoas com deficiência. Podemos mudar completamente a mentalidade das pessoas e estou muito animado para o impacto disso ao redor do mundo – disse o sul-africano Oscar Pistorius, o principal ícone desta mudança.
Natalia Partyka tênis de mesa londres 2012 olimpíadas (Foto: Reuters)
Partyka esteve também nos Jogos Olímpicos de
Londres (Foto: Reuters)
Estrela maior das Paralimpíadas, o velocista sul-africano quebrou barreiras ao lado da mesa-tenista polonesa Natalia Partyka ao participar dos Jogos Olímpicos de Londres e colocar em evidência as habilidades dos portadores de deficiência diante de esportistas “convencionais”. Semifinalista nos 400m rasos e finalista no revezamento 4 x 400m, Pistorius realizou na Grã-Bretanha um sonho que foi acompanhado de perto por amantes do esporte nos últimos quatro anos e contribuiu (bastante) para que as Paralimpíadas de 2012 garantissem antecipadamente o maior público de sua história.
Se Pequim-2008 já foi um “ponto fora da curva” com arenas lotadas e presença recorde de 1.8 milhão de torcedores, em Londres a exceção começa a virar regra. Com três semanas de antecedência, 2.1 milhões de ingressos já tinham sido vendidos, garantindo uma lotação de cerca de 80% nas disputas que acontecem até o próximo dia 9 de setembro.
Brasil projeta inédito sétimo lugar
E se Londres surge como palco da maior profissionalização do movimento paralímpico, o Brasil chega à capital britânica no embalo dessa tendência e com a perspectiva de realizar a melhor campanha de sua história. Enquanto no mundo olímpico a realidade ainda está distante do primeiro escalão, no esporte para portadores de deficiência o país é uma potencia emergente que tem como meta alcançar a sétima posição no quadro de medalhas.
Andrew Parsons (Foto: Cahê Mota / Globoesporte.com)
Andrew confia em alto desempenho da delegação
brasileira (Foto: Cahê Mota / Globoesporte.com)
Para isso, a delegação brasileira desembarcou na Inglaterra com 182 atletas (115 homens e 67 mulheres) e a missão de superar o 9º lugar de Pequim, quando 47 medalhas foram conquistas (16 de ouro, 14 de prata e 17 de bronze). Com a natação, deDaniel Dias, André Brasil e Clodoaldo Silva, e o atletismo, de Terezinha Guilhermina e Lucas Prado, como principais apostas, o presidente do Comitê Paralímpico Brasil (CPB), Andrew Parsons, demonstra confiança em alcançar o objetivo traçado e relembra o último ciclo de quatro anos para justificar o otimismo.
- É uma meta ambiciosa e palpável, é possível. Em Pequim, o que nos separou do sétimo lugar foram três medalhas de ouro, e o trabalho dos últimos quatro anos nos faz acreditar que vamos conseguir isso. Os resultados do último ciclo, dos Mundiais, nos apontam esse caminho. Essa é nossa delegação mais bem preparada de todos os tempos. É ambicioso (o sétimo lugar) por entrarmos no terreno das grandes potências de fato, mas é factível.
Sem fazer previsão de número de medalhas, o dirigente aponta a maior homogeneidade da equipe brasileira como fator que pode fazer a diferença. Para ele, a responsabilidade de medalhas está bem distribuída, o que diminui a pressão sobre determinados atletas.
- Somos um dos poucos países classificados em 18 modalidades. Estamos ampliando o leque de possibilidade de medalhas. Não temos mais um único grande medalhista. Temos nomes como Daniel Dias, André Brasil, Lucas Prado, Terezinha, Odair...
Daniel Dias é 'apenas' mais uma estrela
Os números comprovam os argumentos de Andrew Parsons. Por mais que Daniel Dias, porta-bandeira na cerimônia de abertura, chegue como estrela máxima pelos 11 ouros no Parapan de Guadalajara-2011, nove medalhas (oito de ouro) no Mundial da Holanda-2010 e o Laureus 2009, o “Oscar do Esporte”, conquistados no último ciclo paralímpico, não é exagero chamar a equipe brasileira de constelação.
Daniel Dias, natação em londres (Foto: Cahê Mota / Globoesporte.com)Daniel Dias pode se tornar o maior nome do paralimpismo brasileiro (Foto: Cahê Mota / Globoesporte.com)
Desde a própria natação, com os multicampeões André Brasil e Clodoaldo Silva, passando pelo atletismo, com os cegos mais velozes do mundo, Terezinha Guilhermina e Lucas Prado, chegando até o judô, que conta com Antônio Tenório em busca do pentacampeonato dos Jogos, o Brasil trouxe na bagagem um leque variado de boas possibilidades de ouro. Isso sem contar os esportes coletivos, que têm o Futebol de 5 (para cegos) como grande destaque em busca do tricampeonato.

- A situação do esporte brasileiro hoje é outra, bem diferente até mesmo de Atenas-2004. A responsabilidade está mais dividida, temos muitos ídolos, muitas referências, e isso é importante até mesmo para gerações futuras – afirmou Clodoaldo Silva, maior medalhista da história do país, com 13 pódios, ao lado de Ádria Santos, que não disputa os Jogos de Londres.

natação Paralimpíadas Clodoaldo Silva (Foto: Divulgação)Clodoaldo Silva é um dos recordistas brasileiros em medalhas (Foto: Divulgação)
A mudança citada por Clodoaldo fica evidente até mesmo nas declarações dos atletas. A expectativa de medalhas não tem sido transformada em pressão, mas em confiança, como deixa claro Terezinha Guilhermina, recordista mundial nos 100m, 200m e 400m rasos na classe T11 (para cegos totais).
Terezinha Guilhermina (Foto: Cahê Mota / Globoesporte.com)
Terezinha é esperança de ouro nos 100m, 200m e
400m rasos (Foto: Cahê Mota / Globoesporte.com)
- Estabeleci prioridades e me preparei fisicamente, psicologicamente e emocionalmente para estar aqui e viver tudo isso de uma maneira especial. Os recordes são uma consequência disso. A pressão vem de mim, não de fora. Me cobro muito, me preparei e por isso chego aqui como favorita. Hoje, todas me respeitam. Ninguém entra à vontade contra mim.
Em Londres, o Brasil terá representantes em 18 das 20 modalidades em disputa. Dessas, o país conquistou medalhas em oito nos Jogos de Pequim-2008.
Curiosidades e diferenças para os Jogos Olímpicos
- Durante os Jogos, a Vila Paralímpica receberá cerca de 4.280 atletas. Nas Olimpíadas o número ultrapassou os 10 mil.
- A previsão é de que 1.800 cadeiras de rodas e 22 cães-guia sejam utilizados por atletas na Vila Paralímpica.
- Dois novos locais de competição serão utilizados nas Paralimpíadas: Eton Manor, no próprio Parque Olímpico, que receberá as disputas do tênis em cadeiras de rodas; e o Brands Hatch, antigo autódromo que será palco das disputas do ciclismo estrada.
- Dezessete das arenas olímpicas não fazem parte do programa paralímpico e foram desmontadas ou devolvidas aos seus proprietários (caso de seis estádios de futebol).
- Ao todo, 166 nações participam das Paralimpíadas.
- Mais medalhas de ouro estarão em disputas nos Jogos Paralímpicos: serão 503 contra 302 das Olimpíadas.
globoesporte.com

Santos x Bahia: dor de cabeça à vista!


De técnico novo e saindo da mais nova decepção, quando empatou com o Atlético-GO em Pituaçu, o Esporte Clube Bahia terá, hoje à noite, uma tarefa difícil e complicada, quando terá que enfrentar o Santos, às 19h30, na Vila Belmiro, justamente no momento em que o tricolor vive uma péssima fase, enquanto o adversário resolveu despertar para a competição, após conquistar três vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro e já falam em correr atrás de uma das vagas para a Copa Libertadores da América de 2013.

Ao Bahia só cabe o papel da resistência, contar com alguma combinação favorável dos astros, somada a dedicação e respeito com a camisa tricolor. Observando friamente os últimos resultados e desempenho de ambas as equipes, o baixo rendimento do Bahia e a ascensão do time paulista, as chances do tricolor de aço beiram a casa do nada vírgula nada, mas o time ainda está vivo e foram poucos aqueles que acreditaram na reviravolta na ocasião da vitória contra o Palmeiras, em situação senão igual, bem semelhante à que se vive neste momento, inclusive com a troca do técnico Falcão por Caio Júnior e agora teremos a estréia, não oficialmente, do novo técnico Jorginho.

A luta contra uma nova entrada do clube na zona do rebaixamento só se resolve, naturalmente, com uma vitória. Com um empate, que seria um ótimo resultado, ainda assim, teria que torcer para uma combinação de tropeços de Palmeiras, Atlético-GO e Sport, que jogam, respectivamente, contra Portuguesa, Cruzeiro e Flamengo.

O Bahia não terá o goleiro Marcelo Lomba e o volante Fabinho, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Omar é o substituto natural de Lomba, enquanto Diones e Hélder, que voltam a ficar à disposição, disputam a vaga deixada por Fabinho. O meia Mancini também é outro que reúne condições de jogo e pode ser escalado.

futebolbahiano.com

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Vitória abre cinco pontos do Criciúma


Triunfo do Vitória ontem à noite em cima do Grêmio Barueri por 1 x 0, além de sacramentar uma liderança que já era isolada e também tranqüila com a derrota do Criciúma para o Guaratinguetá por 2 x 1.

Agora o Leão consolidado na ponta da tabela colocou cinco pontos e ampliou para duas vitórias (primeiro critério de desempate) em cima dos catarinenses depois de uma luta quase interminável pela liderança da competição, e de lambuja, agora tem nada mais ou nada menos, que 13 pontos acima do primeiro clube fora da zona dos classificados, considerado este momento da competição, o São Caetano, do técnico Sérgio Guedes que depois de uma série invicta de 17 jogos, acumulou ontem à noite, a segunda derrota consecutiva ao ser goleado pelo ASA por 4 x 1, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.

Destaque da rodada fica por conta do Goiás, que venceu o América-RN por 1 x 0 e retomou sua posição do G4, acompanhado do bom time do Joinville, Criciúma e o Esporte Clube Vitória que hoje ampliou seu aproveitamento para a casa arredondada 79% com a marca impressionante de 15 vitórias em 20 jogos

Resultados da 20º rodada do Campeonato Brasileiro da Série B

Asa-AL 4 x 1 São Caetano-SP
Guaratinguetá-SP 2 x 1 Criciuma-SC
América-MG 1 x 3 Ceará-CE
ABC-AL 2 x 2 Ipatinga-MG
Goias-GO 1 x 0 América-RN
Vitória-BA 1 x 0 Grêmio Barueri-SP
Atletico-PR 1 x 1 Joinville-SC
Avaí-SC 2 x 1 Boa Esporte-MG
Guarani-SP 0 x 0 Paraná-PR
Bragantino-SP 0 x 2 CRB-AL

futebolbahiano.com

Vitória x Barueri: Obrigação de Campeão


O Vitória enfrenta, nesta terça, o lanterna da série B em pleno Barradão, com a obrigação de manter o ótimo momento que vem passando para que o acesso à elite do futebol Brasileiro, mais importante objetivo da temporada, seja conquistado o mais rápido possível.

O grande problema Rubro Negro, no entanto, é justamente se engasgar com os times teoricamente inferiores, e ainda mais em seus domínios, já que estes clubes vêm com um sistema de retranca reforçado e acabam dificultando uma tarefa que deveria ser fácil para o Leão.

O Barueri, que tentou iniciar o torneio fazendo contratações de peso como Jóbson, Marcelinho Paraíba e Ronaldo Angelim, ainda não se encontrou no torneio e com apenas 10 pontos conquistados na metade do torneio, estreia em Salvador seu quarto técnico na competição.

Ainda que o dia e a hora sejam terríveis para uma boa presença de público, a torcida promete se esforçar para apoiar em grande número a décima quinta vitória Rubro Negra em 20 partidas. Para quem quer ser campeão, essa vitória é uma obrigação!

Por não contar com problemas disciplinares, provavelmente Carpegiani irá manter a equipe titular dos dois últimos jogo, começando com: Deola; Nino, Gabriel, Victor e Gilson; Uellinton, Michel, Pedro Ken e Willie; Élton e William. Marquinhos que se recuperou após uma torção na semana passada volta a ser uma opção para o banco de reservas.

futebolbahiano.com


Jorginho cotado para assumir o Bahia



Sai Caio Júnior, que pulou no barco fazendo água para salvar o currículo, entra quem no comando técnico do Bahia? Não basta ser apenas um bom técnico, é preciso certa vocação para a prática de milagres, um técnico com costas largas e comprovadamente experimente em tirar times do buraco, e este perfil, entre os desempregados, pertence a Joel Santana, aquele mesmo da sardinha, no entanto, foi quem evitou a queda do Bahia no ano passado.

Mas nos primeiros tiros livres das especulações, “papai” não teve seu nome relacionado, até agora. O primeiro ministro do Bahia, Marcelo Guimarães, gosta de inventar moda, é chegado aos experimentos e já se fala em Jorginho, que treinou o Portuguesa no passado e Atlético-PR recentemente.

Em entrevista à rádio Itapoan FM, o treinador, atualmente desempregado, rasgou elogios ao clube baiano e deixou as portas abertas para uma possível negociação que, segundo ele, ainda não foi iniciada.

- Estou aberto para negociações. Tive um motivo para sair do Atlético-PR. Agora, eu estou esperando alguma proposta para voltar a normalidade. Tem alguns atletas que jogaram contra mim, bons jogadores, e seria um prazer. Quem seria o maluco que não gostaria de treinar o Bahia - afirmou.

futebolbahiano.com

domingo, 26 de agosto de 2012

Flamengo e Botafogo empatam sem gols no Engenhão


O clássico carioca deste domingo terminou com um empate sem gols entre Botafogo e Flamengo, no estádio João Havelange, na capital Fluminense.
As duas equipes se movimentram bastante e procuraram o gol durante os noventa minutos, mas as defesas levaram vantagem sobre os ataques e o placar não foi mexido no Engenhão.
O resultado deixou as duas equipes nas mesmas posições na tabela do Brasileirão. Botafogo e Flamengo encerram o primeiro turno na sétima e nona colocações, respectivamente, com 28 e 26 pontos.
Na abetrutra do segundo turno, o Botafogo vai encarar o São Paulo, no Morumbi. Já o Fla recebe o Sport, em Volta Redonda (RJ). Os dois jogos serão na próxima quinta-feira.
O Jogo - O duelo no Engenhão começou em ritmo acelerado, com as duas equipes buscando o jogo e errando poucos passes. A primeira jogada de perigo do jogo aconteceu aos sete minutos, quando Seedorf roubou uma bola no círculo central e acionou Lodeiro em profundidade pela esquerda. O atacante invadiu a área e tocou para Andrezinho, que pegou mal e mandou em cima de Wellinton.
O Fla passou a pressionar e jogar mais no campo do adversário. Aos quatorze, um lance polêmico. Léo Moura faz um lançamento para Wellinton que aparecia na ponta direita. O zagueiro avançou e cruzou rasteiro em diagonal em busca de Vágner Love, que é derrubado antes de poder concluir para o gol. O juiz marcou pênalti, mas voltou atrás após se dar conta que o assistente havia marcado impedimento do atacante do Flamengo no lance.
Com velocidade, Thomás foi o responsável por algumas tentativas do Flamengo de chegar à meta do Botafogo
As duas equipes diminuem um pouco o ritmo, mas o jogo continua franco. Os goleiros, porém, têm pouco trabalho, já que a boa marcação dos setores defensivos e o mau estado do gramado impedem que a última bola seja bem sucedida.
O jogo volta a esquentar nos últimos dez minutos da etapa inicial. Aos 36, Ramon cruzou de longe e achou Wellinton na área, que cabeceou tentando encobrir Jéfferson e obrigou o goleiro a se esticar para fazer a defesa. O árbitro, entretanto, parou o lance para marcar falta do zagueiro.
O Flamengo voltou a jogar mais em cima do alvinegro, mas se expunha ao contra-ataque. Num desses lances, aos 41, Andrezinho tocou para Lodeiro na esquerda, mas o atacante errou o passe e desperdiçou a vantagem de cinco contra três.
Nos minutos finais, o Fla quase abre o placar em dois lances. Aos 42, Negueba arrisca de longe, Jéfferson faz a defesa mas dá rebote. Thomás aproveita e tenta o toque para o meio da área, mas a zaga alivia.
Dois minutos depois, Luiz Antônio toca para a entrada de Léo Moura pela direita da área, mas Jéfferson se atira aos pés do lateral e manda para escanteio.
No segundo tempo, o Fla voltou com Adryan no lugar de Thomás, enquanto no Bota, Oswaldo de Oliveira não fez alterações.O Botafogo voltou melhor, pelo menos no volume de jogo, mas continuava com dificuldades para criar jogadas de gol. E o jogo foi caindo de ritmo na medida que as duas equipes mostravam sinais de desgaste.
O Flamengo criou mais jogadas de perigo, assim como no primeiro tempo, mas a bola poucas vezes ia na direção do gol. Aos 15, num contra-ataque rápido, Negueba avançou pela intermediária e tocou para Adryan na esquerda. O meia-atacante fez boa jogada, foi à linha de fundo e cruzou no segundo pau. Vágner Love conseguiu dominar e tocou para Léo Moura, que chegava de trás. O lateral chutou de primeira mas a bola cruzou a pequena área e saiu pelo outro lado.
Aos 38, o Bota chega perto. Cidinho sofre falta na entrada da área, Seedorf cobra e manda rente ao travessão. No minuto seguinte, Elkeson acha Renato sozinho na área, mas Gonzáles aparece para fazer o corte.
O Flamengo cresceu novamente nos minutos finais, com as entradas de Liedson no lugar de Negueba e Muralha, que substituiu Luiz Antônio. Aos 45, Ramon cruzou para Liedson cabecear no travessão. No rebote, Ibson chutou de fora da área mas a bola foi em cima de Jéfferson, que não teve dificuldades para fazer a defesa.
gazetaesportiva.net

Em jogo de confusões, Cruzeiro faz aos 56 e empata com Atlético-MG

Divulgação/VipcommApós muita confusão, o que obrigou a partida ir até os 56 minutos, o Cruzeiro marcou no último lance e garantiu o empate em 2 a 2 com o Atlético-MG, neste domingo, no estádio Independência. Mateus marcou o gol de empate e salvou a Raposa.

Ronaldinho Gaúcho marcou uma pintura de gol, logo após o Galo ficar com nove, mas a defesa atleticana não resistiu a pressão do Cruzeiro, que tinha um homem a mais em campo.

O clássico mineiro ficou marcado por muita confusão no início do segundo tempo, quando objetos atirados em campo paralisaram a partida por quase dez minutos. Além disso, o clima quente entre os jogadores provou nada menos do que dez cartões e três expulsões.

O resultado também desempata o histórico de confrontos entre Cruzeiro e Atlético-MG nos Campeonatos Brasileiros, que tinham números absolutamente iguais até esse domingo.

No início do returno, o Atlético-MG volta a jogar no Independência, mas dessa vez diante de sua torcida. O Galo mineiro pega a Ponte Preta, na quarta-feira. Já o Cruzeiro viaja até Goiânia, onde encara o Atlético-GO, no Serra Dourada.

O Jogo – A partida começou bem brigada no meio-campo. Antes do cinco minutos, Borges fez boa jogada pela esquerda e chegou ao fundo. Na tentativa de cruzar para trás, Tinga quase chegou, mas acabou não alcançando a bola.

Logo aos 15 minutos, Celso Roth foi obrigado a queimar a primeira alteração. Wallyson entrou no lugar de Fabinho, com torção no joelho, e, no primeiro toque na bola, abriu o placar. O atacante aproveitou bom cruzamento de Everton, que chegou ao fundo pela esquerda, e, de carrinho, desviou para o fundo das redes.

O clima começou a esquentar entre os jogadores, que faziam faltas duras. Nielson Nogueira foi obrigado a segurar a partida com os cartões. Em menos de cinco minutos, o árbitro distribuiu três amarelos. Na sequência, uma confusão entre Bernard e Mateus quase terminou em briga entre as equipes, que protagonizaram um princípio de confusão. Na primeira etapa, sete amarelos foram distribuídos pelo árbitro.

Já nos acréscimos, o Atlético-MG conseguiu o empate com um golaço de Leonardo Silva. Após cruzamento de Ronaldinho Gaúcho, de escanteio, Jô desviou para trás e o zagueiro Léo Silva acertou uma bomba no ângulo de Fábio, sem chances para o goleiro.

Logo no início da segunda etapa, a torcida do Cruzeiro começou a arremessar objetos em campo, o que obrigou o árbitro Nielson Nogueira a paralisar a partida por mais de cinco minutos. Por conta de uma confusão entre os jogadores Bernard e Leandro Guerreiro, o árbitro acabou expulsando os dois,que já tinham amarelo desde o primeiro tempo.

A paralisação esfriou o jogo e as chances de gol não vieram até pelo menos os 34 minutos, quando o Atlético-MG começou a se organizar mais. Ronaldinho Gaúcho deu passe magistral no meio da defesa de Cruzeiro, mas Guilherme vacilou no domínio e perdeu uma oportunidade incrível de virar a partida.

Montillo respondeu na mesma moeda de Ronaldinho, e acertou linda enfiada para Borges. O atacante bateu de primeira, mas parou em Victor, que fez ótima defesa.

Após expulsão de Pierre, Ronaldinho arrancou sozinho para marcar um golaço. Com dois dribles mágicos, ficou frente a frente com Fábio e apenas tirou do goleiro, virando o placar.

Quando tudo parecia resolvido, a pressão do Cruzeiro rendeu frutos e Mateus arrancou o empate no último lance da partida. Um cruzamento rasteiro de Marcelo encontrou o zagueiro, que, da pequena área, empurrou para as redes.

gazetaesportiva.net

Bahia empata e decepciona em Pituaçu



A água benta do padre e os apelos do torcedor do Bahia não surtiram resultados. Jogando hoje à noite, em partida que finalizou o primeiro turno do Brasileiro da Série A, o Bahia voltou a decepcionar completamente os seus torcedores ao empatar com o Atlético-GO, no benzido Estádio Metropolitano de Pituaçu, pelo placar de 1 x 1, e o pior, novamente jogando o mesmo futebol horroroso como ontem e péssimo como sempre, especialmente considerando os primeiros 45 minutos, quando saiu da frente, através de Fabinho aos 10 minutos, MAS foi inferior ao adversário goiano, que incomodou muito mais daquilo que foi incomodado, fato que se repetiu também no segundo tempo, redundando com o gol merecido de empate do time de Goiás.

Com o empate, o Bahia foi aos 17 pontos e, mesmo assim, pula para décima sexta posição e termina o primeiro turno uma casa acima da zona dos rebaixados. E o misto de sofrimento com esperança vai continuar até ao final do ano.

Já na próxima quarta-feira, o Bahia tem um sério problema para resolver com seu torcedor e com seu futuro e compromisso fora da zona de baixo da tabela. O time vai até São Paulo e, na Vila Belmiro, às 19h30, encara um Santos que, após um péssimo início de campeonato, já conseguiu a terceira vitória seguida e chegou à nona colocação, com 26 pontos na tabela, transformando a tarefa do Bahia em uma das mais difíceis. Para este jogo, o Bahia terá os desfalques importantes do goleiro Marcelo Lomba e do volante Fabinho, ambos punidos no jogo de hoje com o terceiro amarelo.

Em alguns momentos, confira todos os detalhes da partida e, logo após, o vídeo com os melhores momentos e toda movimentação pós-jogo de Bahia 1 x 1 Atlético-GO, partida que valeu pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, edição 2012.

futebolbahiano.com