GOVERNO DO ESTADO. BAHIA AQUI É TRABALHO

terça-feira, 2 de junho de 2020

Abertura da temporada de Fórmula 1 não terá público no GP da Áustria

Abertura da temporada de Fórmula 1 não terá público no GP da Áustria

O Grande Prêmio da Áustria, que vai abrir a temporada 2020 de Fórmula 1, não terá a presença do público nas arquibancadas. A corrida está marcada para o dia 5 de julho. A confirmação dos portões fechados foi feita pelo consultor da Red Bull, Helmut Marko, figura importante para que o Campeonato Mundial da categoria seja iniciado no circuito de Red Bull Ring, na cidade de Zeltweg, que é de propriedade da fabricante de bebidas energéticas. O rumor de que o governo austríaco havia liberado a presença de 500 espectadores não foi confirmado.

A possibilidade de que o GP da Áustria tivesse uma pequena porção de público surgiu quando o Ministério da Saúde do país liberou a presença de, no máximo, 500 pessoas em eventos que tenham assentos marcados e sejam realizados em ambiente aberto a partir desta segunda-feira (1º).

Por enquanto apenas duas provas do calendário 2020 da F-1 estão confirmadas. A expectativa é que a organização da modalidade divulgue as outras etapas da temporada nesta semana. É provável que neste início do campeonato, as corridas aconteçam na Europa, enquanto estão sendo negociadas com os promotores e o caminhar da situação da pandemia do coronavírus em outros continentes. Após a Áustria, é grande a probabilidade que a próxima corrida seja realizada na Hungria e depois, a Inglaterra sediará duas provas. Em seguida, o circo da F-1 iria para Espanha, Bélgica e Itália, com as duas últimas corridas mantidas nas datas originais. Com esses oito desafios, teria o número mínimo que garantiria a validade do campeonato. Porém, para evitar perdas com revisões de contratos de TV, espera-se contar com pelo menos 15 provas neste ano.

O início da temporada 2020 de Fórmula 1 foi adiado por conta da pandemia global. Algumas etapas foram adiadas, enquanto outras foram canceladas.

Basta, diz Michael Jordan em reação à morte de George Floyd

Basta, diz Michael Jordan em reação à morte de George Floyd

A lenda do basquete Michael Jordan expressou indignação neste domingo (31) pela morte de George Floyd, um homem negro mostrado em vídeo sem conseguir respirar enquanto um policial branco pressionava o joelho contra seu pescoço em Minneapolis, em incidente que provocou protestos violentos pelos Estados Unidos.

Jordan disse que seu coração estava com a família de Floyd e outros que morreram por atos de racismo. "Estou profundamente triste, repleto de dor e com muita raiva. Vejo e sinto a dor, a indignação e a frustração de todos."

"Eu estou do lado daqueles que se opõem ao racismo e à violência arraigados contra pessoas de cor em nosso país. Basta", completou.

Os comentários de Jordan ocorreram enquanto muitas cidades dos EUA se preparavam para mais uma noite de agitação.

Incêndios ocorreram perto da Casa Branca, lojas foram saqueadas na cidade de Nova York e no sul da Califórnia, e um caminhão-tanque avançou sobre manifestantes em Minneapolis, mostrando a dificuldade dos EUA para conter protestos a respeito de questões raciais e da violência policial.

Jordan, seis vezes campeão da NBA com o Chicago Bulls nos anos 1990 e dono do Charlotte Hornets, pediu às pessoas que mostrem compaixão e empatia e nunca virem de costas à brutalidade.

O astro já foi criticado algumas vezes por supostamente não se posicionar sobre temas ligados a questões raciais.

No quinto dos seus dez episódios, o documentário "The Last Dance", disponível na Netflix, relembra a ocasião em que Jordan, quando ainda atuava, não condenou publicamente ataques racistas do candidato republicano Jesse Helms ou apoiou Harvey Gantt, seu concorrente e que tentava ser o primeiro senador negro da Carolina do Norte.

Na ocasião, ficou famosa sua frase "republicanos também compram tênis", em alusão aos modelos com seu nome feitos pela Nike.

O ex-jogador, envolvido na produção do documentário que narra sua trajetória com os Bulls, afirmou que não podia defender Gantt abertamente porque não o conhecia, mas o ajudou na campanha.

Entrevistado no documentário, o ex-presidente Barack Obama afirmou que na época gostaria de ter visto Jordan mais empenhado na defesa de Gantt, mas não o condenou totalmente. "Por outro lado, ele ainda estava tentando descobrir:' Como estou gerenciando essa imagem que foi criada ao meu redor e como faço para cumpri-la?'".

Presidente da FFT quer que Roland Garros tenha o máximo de público permitido

Presidente da FFT quer que Roland Garros tenha o máximo de público permitido

O presidente da Federação Francesa de Tênis (FFT), Bernard Giudicelli, declarou que pretende ver o Roland Garros deste ano com público. O evento, que estava previsto para acontecer nesta última semana, foi transferido para setembro. 

Com a previsão de que os jogos da modalidade retornam em agosto, o dirigente da FFT disse que fará esforço para ter a participação de pessoas no torneio, com a maior quantidade que for permitida pelo governo local. 

“A opção que privilegio é um Roland Garros disputado com o máximo de público. Então, dependendo das condições sanitárias, cumpriremos as diretrizes que o governo nos der. É o governo quem decide a afluência e a quantidade máxima de espectadores nas arquibancadas”, posicionou Giudicelli em live com o tenista Gael Monfils, nono do mundo no esporte.

Apesar da possibilidade levantada, até então, de que a competição aconteça com portões fechados, o presidente disse que o evento perde a “mágica” sem a participação dos espectadores no local. “Jogar com portões fechados é realmente uma hipótese da qual não gostamos, porque Roland Garros, como todos os grandes torneios, é um encontro entre jogadores e público. É o que faz a mágica desse torneio”, pontuou. 

As competições de tênis estão suspensas desde março devido a pandemia do coronavírus. A previsão é que os jogos organizados pela ATP e pela WTA voltem em agosto. Roland Garros está marcado para 20 de setembro.

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Tour do Fred: centroavante inicia maratona de 600 km e cinco dias para se apresentar ao Fluminense

Fred viajará por estradas de terra para evitar aglomeração — Foto: Divulgação / Instagram

Para quem achava que era só uma brincadeira, agora pode acreditar. Fred iniciou às 5h15 (de Brasília) da manhã desta segunda-feira o trajeto de bicicleta de Belo Horizonte rumo ao Rio de Janeiro, para se apresentar como novo reforço do Fluminense. O destino final é o CT Carlos Castilho, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, mas até chegar será uma longa maratona. O percurso tem distância estimada de 600 km. O desafio será também uma ação solidária: o atacante doará uma cesta básica para cada quilômetro percorrido. Quem quiser contribuir com doações, pode CLICAR AQUI.
Devido à falta de segurança do trecho inicial, onde são cerca de 100 km sem acostamento na estrada, a saída de Fred e companhia de Belo Horizonte foi simbólica. Eles foram de carro até Congonhas e, de lá, começaram o tour.
De acordo com o site Google Maps, o trajeto Belo Horizonte-Barra da Tijuca equivale a 445 km e pouco mais de 24 horas ininterruptas de bicicleta. Mas Fred não fará o percurso por rodovias. Para evitar aglomeração em tempos de pandemia do coronavírus, todo o itinerário será feito por um caminho alternativo e mais longo, conhecido como Estrada Real. Tratam-se de rotas de terra construídas para atividade minerária na época do Brasil-Colônia.
Por isso, Fred projetou na Live de sua apresentação no Fluminense que serão cerca de 600 km e cinco dias de previsão para completar o trajeto. O centroavante viajará pedalando ao lado de Jefferson Souza, seu preparador físico particular, e vai acampar em barraca durante as noites do desafio. Haverá ainda dois carros batedores com um mecânico, um fisioterapeuta, um cinegrafista, e Francis Melo, empresário do jogador e idealizador do projeto. Eles levarão máscaras e álcool em gel na bagagem, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde.
Além disso, a nutricionista do Fluminense, Renato Faro, participou da estruturação do projeto. Segundo Jefferson, eles estão preparados física e emocionalmente, além de auxiliados em alimentação, suplementação e hidratação.
– A gente está preparado para essa situação. É um desafio grande, mas a gente está treinando há quatro meses. Tem dois meses que nós estamos pedalando direto, de três a quatro vezes por semana, rodando em média de treinamento 200 km por semana. Psicologicamente a gente também está bem preparado. Acho que é um fator importante para esse desafio. É um desafio desgastante, onde a gente não conhece o caminho. Lógico que a gente vai ter uma estrutura para isso, mas a gente não conhece o caminho. A gente não sabe onde a gente vai poder fazer força, onde vai poder relaxar. Então é o tempo todo atento em relação a tudo – contou Jefferson ao GloboEsporte.com.

Fonte: globoesporte

Sancho marca três vezes, e Borussia Dortmund atropela o Paderborn


Pela 29ª rodada do Campeonato Alemão, o Borussia Dortmund goleou o Paderborn fora de casa por 6 a 1 neste domingo. Um dos grandes destaques da partida foi o jovem Jadon Sancho, que marcou três gols. Em uma de suas comemorações, o atacante tirou a camisa e mostrou a mensagem “Justiça por George Floyd”, em referência ao homem negro que foi assassinado por um policial nos Estados Unidos na última segunda-feira (25).
O primeiro tempo foi pouco movimentado. O Borussia Dortmund mantinha o controle da bola, mas não conseguia levar perigo ao gol adversário. A úncia boa oportunidade ocorreu aos 44 minutos, com uma bela jogada de Hakimi, que cruzou rasteiro para Brandt chutar para fora.
Na segunda etapa, o cenário da partida foi diferente. Os visitantes abriram o placar logo aos nove minutos, com Hazard aproveitando uma falha do goleiro Zingerle. Já aos 12, Sancho recebeu livre na área e só precisou empurrar a bola para o fundo do gol.
O Paderborn tentou reagir e chegou a diminuir a diferença aos 27 minutos, em uma cobrança de pênalti de Hunemeier. No entanto, o Dortmund não reduziu a pressão e marcou mais quatro vezes, com outros dois de Sancho, aos 29 e 46, além de Hakimi, aos 40, e Schmelzer, aos 45 minutos.

Com a goleada, o Borussia Dortmund chega a 60 pontos. A equipe está na segunda colocação, com sete pontos a menos que o Bayern de Munique. Já o Paderborn segue com 19 pontos na lanterna do campeonato.

Hamilton critica silêncio de pilotos da Fórmula 1 sobre caso George Floyd

Neste domingo, Lewis Hamilton voltou a usar as suas redes sociais para se manifestar sobre o caso George Floyd, homem negro assassinado por um policial nos Estados Unidos. Desta vez, o piloto cobrou o posicionamento de seus colegas de profissão.
Único piloto negro da Fórmula 1, Hamilton criticou o silêncio dos demais atletas da categoria automobilística em relação aos casos de racismo. Em um desabafo no seu Instagram, ele revelou que se sente sozinho quando este assunto é colocado em pauta.
“Eu vejo aqueles de vocês que estão calados, alguns de vocês são as maiores estrelas, e ainda assim ficam calados no meio da injustiça. Não há sinal de manifestação de ninguém na minha indústria que, é claro, é o esporte dominado por brancos. Sou um dos únicos negros lá e estou sozinho. Eu pensava que agora vocês veriam o que acontece e diriam algo sobre isso, mas vocês não podem ficar ao nosso lado. Só sei que sei quem vocês são e estou vendo tudo isso”, publicou o piloto em seus stories.
A morte de George Floyd por um policial branco, em Minneapolis, causou revolta do movimento negro norte-americano e desencadeou uma série de manifestações antirracistas nos Estados Unidos. Esportistas importantes como LeBron James e Naomi Osaka já haviam se posicionado a favor dos protestos e Lewis Hamilton também foi um deles.
Na última sexta-feira, o britânico atuou pelas redes sociais para compartilhar um vídeo em que criticava os excessos policiais nos Estados Unidos. “Vocês são uma desgraça”, escreveu o piloto junto com a punlicação.

Pan-Pacífico é adiado de 2022 para 2026 para evitar choque de eventos

Pan-Pacífico é adiado de 2022 para 2026 para evitar choque de eventos

Devido mudanças no calendário esportivo internacional, os países que organizam o Pan-Pacífico decidiram por unanimidade adiar a competição. O evento seria realizado no Canadá em meados de 2022, mas foi postergado para acontecer só em 2026.

Para evitar sobrecarga de eventos em um mesmo ano,  Austrália Canadá, Estados Unidos e Japão optaram por modificar as datas do Pan-Pacífico. Até agora, os Jogos da Commonwealth, foram adiados com previsão de acontecer entre 27 de julho e 7 de agosto de 2022, em Birmingham, na Inglaterra; e o Campeonato Mundial de 2021, que ocorreria em maio, em Fukuoka, no Japão, também teve sua data modificada. Com isso, os organizadores decidiram postergar a competição. 

"Estamos ansiosos para sediar este evento, mas, em geral, todos podem se beneficiar da decisão de adiar o Campeonato Pan Pacífico por quatro anos” anunciou Cheryl Gibson, presidente da Swimming Canada.

“Agora, estamos ansiosos para sediar um grande evento em 2026, acolhendo nossos colegas Austrália, Japão e Equipe EUA, bem como outros convidados de todo o mundo para uma celebração do nosso esporte da melhor forma possível", declarou Gibson.

A categoria Júnior do Pan-Pacífico, que aconteceria este ano, também precisou ser seu calendário alterado. O evento será realizado entre 24 e 27 de agosto de 2022. 

“Continuará sendo um evento de referência no futuro”, destacou a presidente da Swimming Canada. 

sábado, 30 de maio de 2020

Atleta mais bem pago pela 1ª vez, Federer supera Messi, Ronaldo e Neymar

Atleta mais bem pago pela 1ª vez, Federer supera Messi, Ronaldo e Neymar

Os rendimentos dos cem atletas mais bem pagos do mundo estão menores em 2020 do que foram em 2019, segundo levantamento da revista Forbes. É a primeira vez em quatro anos que o valor caiu em relação ao período anterior.

Ao todo, esses esportistas embolsaram, nos últimos 12 meses, US$ 3,6 bilhões (cerca de R$ 19,5 bilhões), o que representa uma queda de 9% em relação ao ranking publicado em 2019.

O atleta mais bem pago do mundo em 2020 passou a ser o tenista suíço Roger Federer, 38, com US$ 106,3 milhões (R$ 576,7 milhões) antes de descontados impostos.

Federer é o primeiro tenista a ocupar a liderança na história do ranking, iniciado em 1990. Ele recebeu US$ 100 milhões de patrocínios e participações em eventos e US$ 6,3 milhões em premiações de torneios.

Em três dos últimos quatro anos, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi haviam se revezado na primeira posição. Nos últimos 12 meses, somados, eles receberam US$ 209 milhões, US$ 28 milhões a menos do que em 2019.

Pela lista da Forbes, Cristiano Ronaldo (US$ 105 milhões) está em segundo, e Messi (US$ 104 milhões), em terceiro. O único brasileiro entre os 100 é Neymar, na quarta posição (uma abaixo do que no ano passado), com rendimentos de US$ 95,5 milhões.

Os atacantes de Juventus-ITA e Barcelona-ESP tiveram redução de salários por causa da paralisação do futebol, forçada pela pandemia da Covid-19. Os principais torneios do mundo foram interrompidos na primeira quinzena de março. As ligas italianas e espanholas devem ser retomadas no próximo mês.

"A pandemia desencadeou cortes salariais para as estrelas do futebol Messi e Ronaldo, abrindo caminho para um tenista ocupar o posto de atleta mais bem pago do mundo pela primeira vez", disse Kurt Badenhausen, editor da Forbes.

Entre os cem atletas de maior rendimento no esporte profissional listados, há duas mulheres, as tenistas Naomi Osaka e Serena Williams. Enquanto a americana já esteve em outras edições do ranking da revista, a japonesa é novidade de 2020.

Com US$ 37,4 milhões, Osaka tornou-se a mulher mais bem paga da história no meio esportivo e ocupa a 29ª posição da lista. Serena é a 33ª, com US$ 33 milhões.

Os esportistas mais afetados pela pandemia, de acordo com o ranking, são os da MLB (Major League Baseball), a liga profissional de beisebol dos Estados Unidos.

Por causa do vírus, o início da temporada, marcado para o final de março, foi adiado e ainda não tem data para acontecer. O sindicato dos atletas está em um impasse na negociação do acordo coletivo com os donos de equipes, que também ameaça o torneio.

Das nove categorias de esportes analisadas pela publicação, q
uatro tiveram queda de receita dos atletas neste ano em relação a 2019: basquete (NBA), boxe/MMA, golfe e beisebol.

Times devem usar máscaras e CBF prevê limite de pessoas em estádio

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vem estudando medidas rígidas para o retorno dos times aos gramados e a continuação dos campeonatos ao redor do país.
De acordo com o site GloboEsporte.com, a CBF se inspirou na liga alemã na elaboração dos protocolos de segurança e entre as medidas estão o uso de máscara, a troca de van e limite de tempo no vestiário.
O documento elaborado pela entidade aponta que será responsabilidade dos clubes conferir o estado epidemiológico de cada um que chega no estádio, que em dias de jogo terá limite de 40 pessoas.
No quesito vestiário, cada jogador deve usar máscaras no modelo face shield (escudo de rosto) e ficar o menor tempo possível no vestiário, limite de 40 minutos.
A CBF se compromete a fazer testes em todos os árbitros envolvidos e deseja o sistema de VAR em funcionamento em todas as competições, já que assim será possível reduzir o número de pessoas em campo.
Uma outra alternativa é a redução do número de testes antidoping, sendo um de cada time, para diminuir o número de pessoas na sala de controle. As entrevistas também serão feitas a distância.

Campeonatos inglês e italiano de futebol voltam na segunda quinzena de junho

Foto: divulgação Liverpool

Depois do alemão, já em disputa, dois dos maiores campeonatos europeus definiram data para o retorno. A Premier League, do atual campeão do mundo Liverpool, será retomada no dia 17; enquanto na Itália a bola volta a rolar no dia 20.
O alemão já está em disputa neste mês de maio, enquanto no campeonato francês o torneio foi dado como encerrado. O título ficou com o PSG, dos brasileiros Neymar, Marquinhos e Thiago Silva.
Segundo o ministro do esporte da Itália, Vincenzo Spadafora, os times ainda podem retornam uma semana antes, no dia 13, para a disputa das semifinais da Copa da Itália.

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Conor McGregor diz que aceita desafio de superluta contra Anderson Silva

Conor McGregor diz que aceita desafio de superluta contra Anderson Silva

Após fazer sugestões de superluta contra Conor McGregor, Anderson Silva recebeu uma resposta a sua publicação feita nas redes sociais. O irlandês publicou que aceita o desafio de voltar a enfrentar o Spider, considerado pelo próprio rival como o maior lutador da história MMA. 

Na última quarta-feira (27), o lutador brasileiro fez uma postagem elogiando McGregor e dizendo que seria uma grande chance poder realizar um super fight em peso combinado de 80kg contra o adversário. “(...) seria algo histo?rico para o esporte”, declarou Anderson Silva. “(...) testar minhas habilidades marciais com ele seria fanta?stico”, completou. 

Nesta quinta (28), o lutador irlandês comentou compartilhou a repercussão da postagem do Spider e disse que aceita a sugestão do brasileiro de realizarem um duelo. 

Ainda não há maiores detalhes sobre a luta entre os dois astros. O brasileiro, de 45 anos, não entra nos ringues desde que perdeu para Jared Cannonier no ano passado e precisou passar por cirurgia no joelho devido a uma lesão que sofreu na mesma ocasião. Já McGregor lutou no início deste ano, nocauteando Donald Cerrone no UFC 246.

Ministro do Esporte da Itália anuncia que Campeonato retorna no dia 20 de junho

Ministro do Esporte da Itália anuncia que Campeonato retorna no dia 20 de junho

Após a determinação das datas de retorno para a Premier League (leia mais), o ministro do Esporte da Itália, Vincenzo Spadafora, anunciou nesta quinta-feira (28) que a Série A do Campeonato Italiano será retomada no dia 20 de junho. Ele também declarou que a previsão é de que a Copa da Itália vonte uma semana antes, no dia 13 do mesmo mês. 

Sobre o encontro que aconteceu nesta tarde entre o ministro, a Federação Italiana de Futebol e representantes de alguns clubes, como jogadores e treinadores, Spadafora esclareceu as decisões para a volta dos jogos.

“A reunião foi muito positiva. A Itália está retomando a vida normal e é certo que o futebol também deve retomar”, comentou o ministro. "Com isso, podemos dizer que a Série A voltará em 20 de junho", anunciou, deixando esclarecido que, o retorno dos jogos só vai acontecer devido a redução a curva de contágio. Caso o país volte a apresentar elevado crescimento de contaminação, o Campeonato será forçado a parar novamente. 

“Há também a possibilidade de que as semifinais e a final da Copa da Itália possam ser disputadas nos dias 13 e 17 de junho, dando um sinal para todo o país”, completou  Spadafora sobre as previsões do calendário do futebol.

Dentre as principais ligas europeias a Italiana é a que possui mais partidas a serem disputadas. Suspensa desde do dia 9 de março, as 12 rodadas da competição devem ser finalizadas até o dia 31 de agosto.