GOVERNO DA BAHIA

Fibrolink Telecom

Fibrolink Telecom

GOVERNO DA BAHIA

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Copa 2018: Fifa mantém punição à Bolívia – e prejudica Argentina

Jogador Nelson Cabrera entra em campo com a seleção da Bolívia pouco antes da partida contra seleção da Argentina para a Copa América Centenário, em Seattle, Estados Unidos

Jogador naturalizado boliviano foi escalado irregularmente e fez sua equipe perder quatro pontos. Chile ganhou dois e está à frente dos argentinos.

A Fifa rejeitou o pedido de recurso da Federação Boliviana de Futebol contra a perda de pontos por escalação irregular de um jogador em duas partidas, válidas pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. A entrada de Nelson Cabrera nas partidas levou os bolivianos à perda de quatro pontos no torneio classificatório. A punição prejudica, indiretamente, a Argentina.
As seleções beneficiadas com a decisão são Chile, que empatou em 0 a 0 (no dia 6 de setembro) e Peru (em 1º de setembro), que perdeu por 2 a 0. Ambas as partidas tiveram os placares alterados para derrotas bolivianas, as duas por 3 a 0, para padronizá-las após a irregularidade. Com os dois pontos ganhos nos tribunais, o Chile foi a 20 pontos, e é o quarto colocado. A Argentina, com 19, é a quinta – posição que a levaria para a repescagem do Mundial da Rússia.
Cabrera, nascido no Paraguai e naturalizado boliviano, ainda não cumpre os requisitos necessários atuar por outra seleção. A Fifa exige que o jogador naturalizado viva há pelo menos cinco anos no país pelo qual pretende atuar. Cabrera, de 33 anos, chegou a defender a seleção paraguaia em 2007 e, em 2013, mudou-se para a Bolívia. Para vestir a camisa da seleção boliviana teria de esperar até 2018.
Além das partidas válidas pelas Eliminatórias, Cabrera também disputou três jogos pela Bolívia na Copa América Centenário, sem nenhum ponto conquistado. A Bolívia ainda pode recorrer novamente da decisão. Para isso, precisará desembolsar 12.000 francos suíços (cerca de 38.000 reais), para apelar junto à Corte Arbitral do Esporte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário