GOVERNO DO ESTADO. BAHIA, AQUI É TRABALHO

quinta-feira, 16 de setembro de 2021

Presidente da Febatri é um dos brasileiros na disputa do Mundial de Triathlon

 


O Brasil será representado por três atletas no Mundial de Triathlon 2021 que será realizado nas Bermudas em outubro. Presidente da Federação Baiana de Triathlon desde 2019, o baiano Cleber Castro se classificou para a prova que reunirá os melhores do planeta. Outros dois paulistas completam o trio de brazucas na disputa internacional separada em duas categorias, alto-rendimento e amadora.

 

"É o grande objetivo do atleta de triathlon estar classificado para o Mundial. Vão só os melhores do mundo e isso para a gente é muito bom. Porque temos a oportunidade de estarmos junto com eles, assisti-los, competir contra eles", afirmou em entrevista ao Bahia Notícias. "É uma oportunidade única", completou.

 

Com a pandemia do novo coronavírus a edição de 2020 do Mundial, que aconteceria no Canadá, foi cancelada. A escolha pelas Bermudas se dá pela abertura do território para a entrada de turistas, seguindo determinados protocolos. Enquanto os atletas classificados foram definidos com base no ranking de 2019.

 

Além de estar entre os melhores triatletas do mundo, Cleber também vai disputar a prova nas Bermudas de olho na briga pelo título brasileiro da modalidade.

 

"Uma boa colocação no Mundial, em relação aos brasileiros que estarão na minha categoria, vai me ajudar a pontuar no Brasileiro. Existem chances de brigar pelo título. Para mim vai ser muito importante, ainda mais como presidente e representante da Federação, para dar exemplo aos demais. Um dos motivos para eu entrar na gestão, foi que ao invés de reclamar do esporte, das condições, das oportunidades, entrei para ajudar e acabo sendo uma referência", explicou.

 

Como presidente de federação, Cleber fica impedido de disputar provas na Bahia. Com isso, ele precisa viajar para outros estados para somar pontos na disputa do Brasileiro. Em 2018, antes de assumir o principal cargo da Febatri, ele terminou na terceira colocação do campeonato nacional.

 

"As únicas provas que posso fazer são as nacionais, enquanto os outros fazem as competições estaduais e querendo ou não fazendo as provas, você fica mais competitivo. Então, tenho que usar todas as forças para, com um número menor de provas, conseguir me classificar", disse. "Estou com boas perspectivas nesse ano de brigar pelo título. Vou conseguir fazer todas as provas do calendário nacional. Uma vai delas será aqui na Bahia em 20 de novembro, outra em Recife 6 de novembro e tem uma outra em Brasília 5 de dezembro. Mesmo com calendário atípico, vou conseguir participar dessas provas aí sim vou brigar pelo título. Caso não conseguisse participar de todas as provas, aí ficaria difícil", finalizou.

 

O Mundial de Triathlon nas Bermudas está marcado para acontecer entre os dias 15 e 17 de outubro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário