Fibrolink Telecom

Fibrolink Telecom

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Lesionado, Neymar é cortado da seleção brasileira para a Copa América


O atacante Neymar está cortado da seleção brasileira para a disputa da Copa América de 2019. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou, na madrugada desta quinta-feira 6, que o jogador deixa o grupo após sofrer uma entorse no tornozelo direito durante amistoso contra o Catar, vencido pela equipe de Tite por 2 a 0, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.
Ao longo da semana, o atleta teve seu nome envolvido em uma denúncia de estupro, e pode ter cometido um crime virtual ao compartilhar, em um vídeo que postou voluntariamente em suas redes sociais, fotos íntimas da mulher que o acusa. Um depoimento sobre o segundo caso está marcado para esta sexta-feira, enquanto a investigação do primeiro corre em sigilo.
Depois de dias conturbados, Neymar entrou em campo apoiado pela torcida brasiliense nesta quarta-feira, para o primeiro amistoso preparatório da equipe que jogará a Copa América. Aplaudido nas primeiras jogadas que tentou, logo aos 16 minutos do primeiro tempo o atacante deixou o campo lesionado ao torcer o tornozelo direito, em uma dividida com o volante Assim Madibo.
Encaminhado para o Hospital Home, em Brasília, ele foi avaliado e submetido a exames complementares de imagem que confirmaram a ruptura ligamentar no tornozelo, impedindo uma recuperação em tempo hábil para a disputa do torneio. O Brasil estreia na competição no dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Morumbi.
A partir desta quinta-feira (06), a comissão técnica da Seleção Brasileira iniciará a definição de um substituto”, informou a CBF em nota.
Também ainda sem o conhecimento da gravidade da lesão, o presidente Jair Bolsonaro, que acompanhou o jogo contra o Catar no estádio, visitou o atacante no hotel Home, em Brasília, e postou uma foto no Twitter na qual desejou “uma rápida recuperação”. Bolsonaro já havia dito mais cedo que gostaria de “abraçar” Neymar e que acreditava em sua inocência quanto às denúncias de estupro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário